BlogAlex, sed Alex

Ícone

quem faz yoga não bloga

Palestra online de Fabio Akita sobre Ruby on Rails

A Locaweb, que vem investindo pesado, realizou nesta última sexta-feira, 11 de julho, uma palestra online sobre Ruby on Rails. O palestrante foi Fabio Akita, especialista brasileiro no assunto.

A palestra -ou screencast, ou webcast, ou ainda videocast, você escolhe- teve mais de uma hora e abordou principalmente os fundamentos do assunto; apresentou a linguagem Ruby, depois a plataforma (framework) Ruby on Rails, alguns dos principais sites desenvolvidos em RoR e mostrou também em tempo real a facilidade que é criar um sistema simples com o Ruby. Ou com o Rails. 😉

Uma coisa que, falando no popular, enche o saco é a parte introdutória. De qualquer assunto! Seja de RoR, seja de Ajax, seja de ASP ou PHP. Pode reparar. Eu, por exemplo, não agüento mais ler que Ajax significa javascript e xml assíncronos. E nessa parte tenho que tirar o chapéu para o Akita; a parte de introdução histórica do RoR ocupou boa parte da palestra, mas foi apresentada de uma forma muito bacana. Contextualizou até mesmo o people do 37 Signals e falou de sites interessantes que foram desenvolvidos na, er…, linguagem – como  Twitter e Hulu.

A palestra pode ser vista aqui. Quando você tiver um tempo, invista-o nessa palestra; vale muito a pena.

Anúncios

Filed under: informática, podcast, Ruby on Rails

Divagações breves e promoção do BR-Linux

Navegando pelo blogódromo, acabei caindo no Café com Gelo -no qual acabei lendo, de novo, sobre a promoção do BR-Linux.org (já havia lido no MeioBit, via Netvibes). A promoção visa, além de sortear prêmios, angariar fundos e/ou mais acessos para sites que disponibilizam conteúdo free, grátis, digraça, sem ônus para o visitante-internauta.

Eu também quero participar, então aí vai:

Ajude a sustentar a Wikipédia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso, e concorra a um Eee PC!
…e também a pen drives, card drives, camisetas geeks, livros e mais! O BR-Linux e o Efetividade lançaram uma campanha para ajudar a Wikimedia Foundation e outros mantenedores de projetos que usamos no dia-a-dia on-line. Se você puder doar diretamente, ou contribuir de outra forma, são sempre melhores opções. Mas se não puder, veja as regras da promoção e participe – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux e do Efetividade, e você ainda concorre a diversos brindes!

Mas, aproveitando o ensejo e o post, gostaria de desovar uma frase que vem me martelando a cabeça durante minhas caminhandas imaginárias nas manhãs mais imaginárias ainda.

Antes: você é autor? Como assim “como assim?”?? Direto do dicionário Schreibélio:

autor – substantivo masculino. Aquele que cria ou produz conteúdo. Exemplos: escritor de livro; redator de artigo, manchete, headline, twit, post ou slogan; compositor de música; cineasta de película, screencast, vídeo para youtube ou faustocassetada. Etc.

Então. Você é autor(a)? Sonha ser um(a)? Sinto em lhe dizer, mas o seu conteúdo não é mais seu. Ou não apenas seu. Todo o conteúdo é de todos.

Voltarei ao tema.

Filed under: comportamento, informática, web 2.0

Colocando links em DIVs com fundo PNG transparente

Se o título do post lhe parece grego, não entre em pânico; leia os outros – sobre economia, futebol etc. Ou faça um dos quizzes, ou divirta-se com as frases e momentos José Simão.

Uma das coqueluches atuais no webdesign é usar imagens de fundo com bordas arredondadas. Dá um ar de modernidade.

O problema é que navegadores mais antigos, como o Internet Explorer 6 (e seus primos mais arcaicos ainda), só aceitam transparência em arquivos GIF. Sim, eu ouço o seu pensamento, você que está sentado aí na última fila. Por que usar transparência? Imagina que o site tem o azul como cor de fundo. Mesmo usando o fundo com código RGB hexa idêntico no Fireworks (ou Photoshop, Illustrator etc.), dá uma diferença no browser. Então, para sites que não têm fundo branco, é necessária a transparência.

(Espero que nenhum de vocês, meus leitores e minhas leitoras, tenha perdido noites de sono nem deixado de ver capítulos de novela, ou finais de Libertadores, tentando aplicar transparência em sites com fundo branco!)

Usar JPG em vez de GIF, além de aumentar significativamente o tamanho do arquivo, não resolve o problema da visualização em navegadores antigos. A alternativa então é usar um filtro da própria Microsoft em imagens PNG.

Class ou id?

Não há diferença significativa entre class ou id para este caso, de modo que usarei id nos exemplos.

CSS:

#fundo {
float: left;
margin-bottom: 3px;
background-image:url(‘imagemdefundo.png’);
background-repeat:no-repeat center center;
_background:none!important;
width:400px;
height:400px;
filter:progid:DXImageTransform.Microsoft.AlphaImageLoader
(src=’imagemdefundo.png’,sizingMethod=’scale’);
}

HTML:

<div id=”fundo”>

</div>
</code>

É importante que a DIV do fundo transparente não tenha sua position definida se a mesma tiver links. Links?

Links

Tudo muito bom, tudo muito certo. A não ser que haja links na DIV de fundo transparente. Funciona de forma correta no Firefox e demais geckos -aqueles navegadores que usam a tecnologia do Firefox e do Opera-, mas, adivinhe, dá problema no Explorer. Qualquer um deles. O navegador do tio Bill interpreta os links como uma camada abaixo do fundo, de forma que o mouse não os alcança devido a uma barreira. Isso explica muita coisa, inclusive um filme com o nome “Kill Bill”!

Para tornar clicáveis os links, é preciso acrescentar uma DIV com posição relativa. Vamos lá:

a.fundo {
position: relative;
}

Agora fica evidente a importância de não se colocar position:relative na DIV da imagem de fundo.

Filed under: informática, web 2.0, webdesign

julho 2008
S T Q Q S S D
« jun   set »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031